Notícias

Agência de Cooperação Alemã apoia Universidade Federal de Itajubá na implantação de Cluster de Hidrogênio Verde

A Cooperação Brasil-Alemanha para o Desenvolvimento Sustentável, por meio da Agência de Cooperação Técnica da Alemanha GIZ (sigla em alemão para Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit) e a Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI) firmaram parceria que garante a implementação do primeiro Cluster de Hidrogênio Verde (CH 2 V) do Brasil. A iniciativa vai investir no desenvolvimento de projetos de pesquisa e inovação tecnológica através da instalação de uma unidade de produção e armazenamento de hidrogênio verde (H 2 V) no campus da universidade.

Com recursos de quase R$ 25 milhões até 2023, a GIZ leva à UNIFEI a infraestrutura necessária para a realização de pesquisas experimentais em economia verde. A ideia é que o CH 2 V funcione como um laboratório para estudos sobre o desenvolvimento de tecnologias com hidrogênio verde, sua produção e aplicação em diversos setores. A partir da construção da unidade de produção e armazenamento de H 2 V, o projeto pretende agregar várias frentes de pesquisas que incluem a análise do uso de hidrogênio verde em processos industriais, na geração de energia elétrica e na busca por alternativas sustentáveis para a mobilidade urbana. Também está prevista a criação de cursos de graduação, pós-graduação e especialização que promovam geração de conhecimento, troca de experiências, treinamento e qualificação profissional na área.

Com a consolidação deste polo tecnológico, a parceria pretende ampliar as descobertas para além da universidade, permitindo o intercâmbio de conhecimentos com outras instituições de ensino e integrando atores dos setores público e privado. Os trabalhos incluem, ainda, experimentos sobre a aplicação do hidrogênio verde junto a empresas siderúrgicas instaladas em Minas Gerais. Também está prevista a elaboração de um sistema de abastecimento de veículos movidos à H 2 V para testes em ônibus que operam na cidade de Itajubá. Tudo isso por meio de uma planta de eletrólise com potência instalada de cerca de 1 MW, o que produz 200 Nm 3 /hora de hidrogênio.

“O hidrogênio produzido a partir de fontes renováveis de energia depende de técnicas, processos e equipamentos que ainda são pouco conhecidos. Por isso, são essenciais estudos que promovam a consolidação das tecnologias, bem como sua disseminação e demonstração. Desta forma, vamos possibilitar a expansão efetiva do hidrogênio verde na economia energética”, ressalta o Dr. Markus Francke, diretor do projeto H2Brasil da GIZ.

O acordo firmado hoje faz parte do projeto H2Brasil, implementado pela GIZ, uma cooperação entre os governos do Brasil e da Alemanha para apoiar a expansão do mercado de hidrogênio verde no país. Diante dos esforços globais em garantir a sustentabilidade nos processos de geração de energia, o hidrogênio verde se apresenta como outra importante ferramenta para reduzir os gases do efeito estufa emitidos pelo setor.

Ver mais notícias

blog
Projeto H2Brasil promove evento sobre Hidrogênio Verde na maior feira de energia solar da América do Sul

Brasil e Alemanha debaterão a importância do Hidrogênio Verde na transição energética durante a Intersolar South America, maior feira do setor solar da América do Sul. O debate ocorrerá no evento “Brasil-Alemanha: Soluções inovadoras para sistemas de armazenamento de energia e Hidrogênio Verde”, que será realizado em 24 de agosto, em São Paulo.

blog
Programa de Inovação para o Hidrogênio Verde abre inscrições para a segunda chamada do projeto

ih2 Brail

blog
Evento paralelo “Brasil-Alemanha: Soluções inovadoras para Sistemas de Armazenamento de Energia e Hidrogênio Verde (H2V)”

ver todas as notícias